sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Aborto e o direito sobre o próprio corpo!

Má Oliveira
Nos últimos dias temos sido bombardeados com emails e a mídia em geral,
com a alegação que a candidata Dilma (PT), declarou-se favorável ao aborto.
Após ler e reler, ouvir e ver tantas coisas, o que concluo é que ela declarou-se favorável
quando lhe foi oportuno e depois se declarou contra (era o melhor no momento)
tendo, em seguida, dito que o governo não deve ser nem contra e nem a favor.
Pilatos???
De tantas besteiras que li e ouvi, o que acho grave é a declaração da Candidata,
de que aborto é uma questão de saúde pública.
Gravidez oriunda de estupro ou que possa prejudicar a vida da gestante,
já têm autorização legal para a pratica do aborto,
penso que a chamada "gestação indesejável",
não merece guarida legal e nem social.
Tenho ouvido "brados" fervorosos abordando o direito da mulher sobre o seu corpo, concordo.
Então meninas, desfrutem do seu direito de tomarem anticoncepcional,
usarem preservativos, colocarem o DIU, fazerem laqueadura, pedirem aos seus parceiros
que façam vasectomia e etc.
Os métodos contraceptivos estão ai, usem e abusem!
Pessoas inteligentes previnem-se das situações.
É verdade que mesmo com alarme, travas e etc., ainda podemos
ter o carro roubado...
Mas nem por isso vamos matar o ladrão...
Nestas horas é bom ter feito o seguro, não acha?
Comparaçãozinha babaca, né?
Mas é que tem uns Q.I que só entende com exemplos práticos e monetários.
O que acho que deve ser visto como prioridade pelos nossos governantes
é a legislação que regulamenta a laqueadura.
Penso ser inconcebível que uma mulher que já tenha filhos, queira fazer laqueadura e
encontre obstáculos para conseguir isso no serviço público,
sob alegação de que ela não "tem idade" pra isso e poderá se arrepender
(tem que ter pelo menos dois filhos e em média 25 anos).
Entendi...
Abortar pode.
Mas decidir que não quer mais engravidar...
Eita inversão de valores!!!!
Permitir o aborto porque alguem foi descuidado ou irresponsável,
alegando com isso que é uma forma de garantir a liberdade de decisão da mulher
sobre seu corpo, é um absurdo!
Pois não é o corpo dela que será jogado ralo abaixo, e sim do filho que ela,
irresponsavelmente concebeu.
Ela deveria ter usado sua tão preciosa liberdade para evitar a gravidez.
Gente, estão tratando a gravidez como um aplique de cabelo!
Fiz, não quero mais, mando tirar e pronto, sigo minha vida.
Onde estamos?
Que sociedade é essa que vivemos?
Chego a ouvir absurdos de que com a legalização do aborto, haverá uma
diminuição significativa na criminalidade.
Caracas!
Eu achava que criminalidade se combatia com educação, esporte, arte, cultura,
saúde publica, trabalho, dignidade social e etc.
Nunca imaginei que o método correto seria o homicídio...
Isso que eu chamo de incompetência administrativa!!!!!!!!!
Não tendo como combater um problema social,
legaliza-se uma das formas de homicídio?
Logo vão achar que matar os pais idosos será norma,
afinal é uma forma de controle populacional e já viveram muito.
(o INSS vai agradecer???)
As defensoras do aborto vão dizer: mas é só um feto!
Verdade. Dane-se!
É...
é só um feto e é o seu feto.
É o fruto da sua conjunção carnal!!
(deveria ser do seu amor, mas você não sente isso por ele)
Creio que o Governo, em vez de pensar em legalizar o aborto,
deveria era fornecer "oxitocina" para essas mulheres,
quem sabe despertaria um pouco de sentimentos em seus corações.
Ademais, nem todo aborto é seguro, mesmo com total assistência médica,
podem ocorrer casos de complicações clinicas ou mesmo psicológicas.
Mas esse é o único lado bom do aborto, pois quem o praticou
merece suportar suas sequelas!!!
Madre Teresa de Calcutá disse:
"Um país que aceita o aborto não está a ensinar os seus cidadãos a amar,
mas a usar a violência para obterem o que querem.
É por isso que o maior destruidor do amor e da paz é o aborto."
e prossegue nos alertando que:
"Mas eu sinto que o maior destruidor da paz hoje é o aborto,
porque é uma guerra contra a criança -
um assassinato direto da criança inocente -
assassinato pela própria mãe.
E se nós aceitamos que uma mãe pode matar até mesmo sua própria criança,
como nós podemos dizer para outras pessoas que não matem uns aos outros?..."
Pensem nisso!
Eu sou Má Oliveira, primeira gestação aos dezesseis anos de idade,
sem qualquer cogitação sobre aborto.
Meu filho hoje com 30 anos e é um grande e preciso homem!!
Não apague a luz da vida do seu filho.
Você não pode supor as alegrias que ele pode te proporcionar!!
Principalmente, não apague a sua luz.
Ou você acha que um assassino tem condições de brilhar?
Bom...
aí vai da frieza da pessoa, né???
Não quero seu voto!
(ops! esqueci que não sou candidata a nada!!!)
Quero apenas agradecer a sua mãe por não ter te abortado,
pois se você está me lendo é porque faz parte do meu circulo de amigos
e eu amo muito os meus amigos,
então, se sua mãe tivesse se acovardado,
faltaria-me você!
Não permita que seu filho falte na sua vida ou na vida de alguem!

Publ. Recanto das Letras em 01/02/10 - Cód Texto2531226

2 comentários:

  1. soa como musica essas palavras,obrigada pelo texto inteligente e objetivo,ainda tem salvaçao para o nosso país!!!não ao aborto!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Enzo, obrigada pelo comentário.
    abs,
    Ana

    ResponderExcluir